quarta-feira, 27 de maio de 2009

Restaurante Feitoria e Chef José Cordeiro - Hotel Altis Belém

http://www.altishotels.com/
Doca do Bom Sucesso - Lisboa
Telefone:. 210 400 207

O nome não poderia estar mais adequado ao espaço envolvente: Feitoria!

Longe estão os tempos da Flandres, Arguim e Cabo Frio. Fica a saudade de quando éramos tão grandes que nem no mapa-mundi cabia tudo o que descobrimos e conquistámos.

Foi com este mote que o Grupo Altis e o Chef José Cordeiro arriscaram e conseguiram uma verdadeira proeza: criar um ambiente distinto, apetecível e simpático. Um espaço cheio de referências a tudo de grande que fazemos.

A decoração, ao contrário do que se possa pensar, foge ao minimalismo realçando um conjunto de pormenores deliciosos.

O cenário tem como fundo os Descobrimentos. Não preciso entrar no espaço para ser cativado pelas figuras que estilizam a época. Alguns passos mais e sou obrigado a parar e contemplar: avisto o Padrão dos Descobrimentos e o Tejo como pano de fundo. Não há palavras que possam descrever esta visão.

Agora, o meu espírito é de explorador, e tudo o que vejo absorvo. Mais uns passos e descubro uma mezzanine que acolhe outro conjunto de mesas. Mas o meu olhar desvia-se logo para a parede de fundo: um frigorífico que alberga as visíveis 1800 garrafas. Aqui posso afirmar: é mais do que armário de vinhos, é uma peça chave na mobília da casa.

O estampado das toalhas realça mais um detalhe personalizado. Enrolados como mapas, os guardanapos poisam sobre os marcadores onde em breve as descobertas do palato irão ter inicio.

O Sol brilha, e o vento sopra numa brisa que torna o calor suportável. Vou optar pela esplanada, e entrar em sintonia embalado pelo sons da natureza.

A carta, primorosamente concebida, pensa no bem-estar dos clientes apresentando em cada prato o seu detalhe, tempo de preparação, e o vinho aconselhado pelo sommelier.

O amuse bouche foi 6 variações sobre o tema das ostras: Ostra na sua casca com ar de lima; tempura de ostra com compota de tomate; ostra com molho ponzu e salada de courgette; chips de topinamburgo, ostra e esferas de pepino; tomate cherry com ostra e vinagrette de balsâmico; ostra cm gelatina de romã e espargos verdes, guarneci-me com o Champagne G.H. Mumm Cordon Rouge.

De seguida, degustei uma salada de lavagante, maçã, aipo e chicória, e vinagrete de coral, com o Vale das areias sauvignon e arinto branco 2008. Sucedeu-se um foie gras corado com chutney de manga e crocante de pão de especiarias, agora o vinho foi a Quinta do Alqueve colheita tardia 2005.

A Vitela grelhada fez-se acompanhar por batata-doce gratinada com queijo da serra e espargos verdes e o peixe-galo com puré de abóbora manteiga e lulas chapeadas. Casados respectivamente com o Pontual Shiraz Tinto 2006 e o Covela Escolha White 2007.

Para sobremesa, e já com pouco espaço no estômago, não fraquejei e enfrentei a fácil tarefa de degustar a Sericaia com gelado de ameixa d’Elvas, seu creme e espuma de hortelã da ribeira e a Sopa dourada em calda de maracujá e frutos do campo, gelado de pão alentejano - o Alentejo e Trás-os-Montes representados na cozinha do chef Cordeiro. Pois se pensa que fui a seco, nada disso, aqui a palato deleitou-se com o Burmester 10 Year Old Tawny Porto.

Os tons do preto e dourado com as bonitas peças de louça, elevam os pratos a um patamar superior, acrescentando assim à fantástica confecção o paladar da vista.

Chega o café e volto a ficar surpreendido com arrojada linha das chávenas NewWave Caffè da Villeroy e Bosch. Acrescente-se que o “pires“ trazia um pequeno mimo: castanha de Viseu.

O Restaurante Feitoria é um verdadeiro posto avançado do grande império gastronómico português!

1º foto - Salada de lavagante
2º foto - Foie gras corado
3ª foto - Peixe-galo
4ª foto - Vitela grelhada
5ª foto - Sericaia
6ª foto - Sopa dourada

24 comentários:

ouriço disse...

Resta saber, quem comentou isto. Não será encomendado? Chefe tenha juizo e alguma respeito pela nossa inteligência. Toda a gente sabe dos problemas financeiros por que isso passa.

Emanuel Faria disse...

Ouriço! A inveja é a arma dos incompetentes! se não consegues fazer melhor, ta caladinho!!!! posso dizer com toda a franqueza que o Chefe Cordeiro é o verdadeiro descobridor da nova gastrónomia portuguesa!! um grande homem é um grande chefe...

um abraço para "EL Comandante"!!!!

Anónimo disse...

Realmente não se percebe o que é que os eventuais problemas financeiros possam ter com a qualidade da cozinha do chef cordeiro. Gostei do artigo e tenho vontade de ir lá para perceber melhor a descricao.

ouriço disse...

aí vem a contra-informação.
não alimento polémicas, sei do que falo. o chefe está a tratar da vida dele. a familia pinguça é que não sabe para onde se virar. o restaurante tem normalmente 2 mesas com clientes! as outras ficam para os fantasmas...
daí toda esta publicidade, em jeito de artigo de opinião!
pelo menos haja sinceridade!

le CHEF. disse...

vejam http:/cookcozinheiro.blogspot.com
algo de diferente.

Anónimo disse...

Força chefe a inveja ( dos outros chefes )é a morte dos artistas vejamos quem em Portugal consegui uma estrela Michelin deve dore a muito chefe em Portugal e depois dizem-se amigos ,amigos e da invela que é muito feio

ouriço disse...

sinceramente, voltei ao restaurante feitoria e... nova desilusão. se o sr. fernando martins soubesse disto!!!ai,ai...

Paula Melo disse...

Estive lá há dias e adorei. Muito bom mesmo! Cozinha de garande qualidade. Servilo impecável.

Francisco disse...

Parabéns! Excelente esplanada, um espaço muito agradável, com uma vista fantástica e comida muito boa. Apetece voltar muitas vezes.

Anónimo disse...

Efectivamente um desastre. Mau serviço, muito demorado e pouca delicadeza. Um espaço a esquecer. Como sugestão: fechar o restaurante e abrir outo negócio.

Carlos Zorrinho disse...

Também não gostei.Como é possivel o serviço ser caro e a comida a saber a detergente??????????
Os empregados são arrogantes e antipaticos. Não vai ter futuro. Um espaço a riscar da lista

bruno disse...

sinceramente pareçe-me muito estranho certas mensagens .. pela segunda vez que vou ao Feitoria e sempre fui bem atendido , quanto a comida exelente ... acredito que o Sr. Pinto Balsemão tenha a mesma opníão ...

Anónimo disse...

mais uma encomenda... nem sei se o chef deva ser tratado como chef ou mesmo pelo sr. contra-informação. depois aparecem os brunos da vida... a fazerem perguntas pela internet ao pinto balsemão. sr. cozinheiro, trate-se!
sobre este espaço: FUJAM!!!

Bruno disse...

Infelizmente para nós existem muitos anónimos neste pais . que só sabem falar mal quase sempre falam do que não sabem . tem haver com disfunções e depois descarregam nos blogs .. triste mas tudo tem cura

simplesmente disse que das vezes que fui a este restaurante fui bem atendido e comi bem , por acaso numa das vezes estava la o Sr. Pinto Balsemão ...

as melhores ...

Anónimo disse...

compreendo a sua indignação. sei mais do que imagina. o espaço é mau, o chef trata da sua vida e mais não digo. há bons espaços por aqui. este não é um bom exemplo.

Anónimo disse...

"A dor de corno" deve ser tão grande que o Anónimo/Ouriço não larga o osso!...
Mas respeite-se a opinião.
Já lá fui 3 vezes e sempre de lá saí agradado com o que me serviram e onde fui servido.
Bem cozinhado, boa apresentação e a localização é espectacular.
Uma Nota negativa comum a qualquer Restaurante português: não há justificação para os preços dos vinhos em carta. Querem ganhar numa garrafa o que deviam ganhar em 3 ou 4. Os produtores que se cuidem (mas como?) pq muito breve ninguém está disposto a pedir vinho pra mesa!...

Vanessa Sofia Gaspar disse...

Boa noite.
Nunca fui muito de criticar assuntos que nao me dizem respeito, mas vou opinar.
Sou estudante de Hotelaria e já trabalhei num restaurante onde ouvia de tudo.
Agora virem para aqui, em anónimo ou ouriço é porque não teem mais nada para fazer sem deitar as pessoas a baixo. Chefe Cordeiro, causa assim tanta dor de cotovelo??
Então façam melhor, arregassem as mangas e deitem mãos á obra.
Um país lindo, com pessoas que nem meio tostão valem. Consigam vocês brilhar tanto como o Chefe.

Good Luck.
Hotelaria é feita de boas texturas e de bons garfos, não de inveja e dor de cotovelo.

maria joao cardoso disse...

não , não sou goumet e estou em crer que ser gourmet é uma arte. aprecio a boa mesa, a forma como a comida, a mesa são apresentadas e claro o sabor da nossa cozinha. o chefe cordeiro faz pratos lindos basados nos nossos sabores. nunca tive o previlegio de saborea-los mas só de olha-los consigo avaliar, até porque dizem que sou "uma excelente cozinheira". se o chefe cordeiro ler esta mensagem saiba que seria uma honra aprender consigo na sua cozinha. e venham daí mais umas quantas estrelas michellim.

Anónimo disse...

pelos comentários o local em causa parece ser bem ao antigo estilo fascista

Anónimo disse...

pelos comentários o local em causa parece ser bem ao antigo estilo fascista

EuSouGourmet disse...

O fascismo e a gastronomia são um grande desvio de racionalidade.
O espaços podem ter fascistas que gostam de comer, mas nenhum se personaliza pelo estilo ediológico fascista.
Nunca ouvi dizer que nas escolas de hotelaria se ensinava formas de receber fascistas, socialistas, comunistas, de direita ou qualquer outro credo que seja.
Estou verdadeiramente chocado com este comentário

Pinho disse...

Xiça ainda agora comecei a ler os comentários e já estou farto deste Anónimo...falta-lhe algo...sê Homem pá, deixa-te de coisas. bem, eu escrevo porque gostava de saber por onde posso começar uma aprendizagem no mundo das artes culinárias?! farto-me de procurar, o que é certo é que noutros países só se encontram escolas de artes culinárias, em portugal...digamos que parece que foi deixado ao abandono. algumas dicas Chefe Cordeiro ?? Onde eé que eu posso começar a ter formação neste campo?

EuSouGourmet disse...

Olá Pinho, formação em que área? serviço, cozinha ou gestão?

luisa disse...

conheço um amigo que tirou recentemente um curso numa escola privada em lisboa conhecida por atelier michel da costa(grande nome da gastronomia portuguesa)... fica aqui a sugestao!! boa sorte